Financiamento Engajado

O engajamento de consumidores e empreendedores a favor de um interesse comum é dinâmica em ascensão graças à popularização das plataformas de crowdfunding. Saiba como usar o financiamento coletivo para viabilizar uma ideia com potencial.

As plataformas virtuais de financiamento coletivo ou crowdfundings se multiplicam no Brasil, seguindo uma tendência mundial de participação de pessoas comuns no financiamento de ideias inovadoras.

O especialista em direito empresarial, eletrônico e em financiamento coletivo Vinícius Carneiro, dono da consultoria Mr. Crowd, afirma que o crowdfunding, mais do que uma expectativa de lucro para o investidor, é uma oportunidade para que ele aposte em ideias e valores que considera importante na construção de um estilo de vida.

Os crowdfundings popularizaram-se para financiar atividades culturais como gravação de filmes, produção de eventos, álbuns musicais, realizações de espetáculos, entre outras iniciativas do gênero. Contudo, rapidamente, a ideia alcançou o mundo dos negócios, em especial dos pequenos negócios. Investidores e consumidores engajados sentiram-se atraídos por essas iniciativas na expectativa de financiar uma nova maneira de movimentar a economia e ter em primeira mão produtos inovadores.

Carneiro fala à Meu Próprio Negócio sobre o que os investidores esperam dos empreendimentos inscritos nas plataformas virtuais de financiamento coletivo, como motivá-los a aplicar dinheiro na ideia e o que é precisa estruturar em um projeto para obter sucesso nesse de empreitada.

Meu Próprio Negócio: Quais empresas e produtos têm mais chances de conseguir concretizar seus projetos de crowdfunding e por quê?

Vinicius Carneiro: A maioria das empresas que consegue obter sucesso por meio dessas plataformas são aquelas que apresentam produtos ou ideias que a população considera inovadores, que não vão encontrar facilmente no mercado, pois não são tão acessíveis. Projetos em áreas culturais, de novos produtos ou serviços, sempre que inovadores ou diferenciados, acabem sendo muito bem recebidos. Essa característica ainda ajuda na divulgação, o que é importante, pois as mesmas pessoas que ajudam a financiar o projeto também o divulgam, tornam-se fãs da ideia e contribuem para o sucesso.

MPN: Qual a diferença entre receber dinheiro de financiamento coletivo e ser financiado por investidores-anjo?

VC: para a formação de novos negócios e de novas empresas, a modalidade de financiamento coletivo usada é o equity crowdfunding. A principal diferença do equity crowdfunding em relação ao investidor-anjo é que a segunda opção apresenta a ideia de forma bem sucinta para alguns poucos investidores profissionais, com alguma formação em negócios, finanças ou gestão.

Eles apostam valores maiores na empresa e, em troca, têm uma participação significativa no negócio.

Já no financiamento via equity crowdfunding tem uma diluição da quantidade de investidores e, portanto, é preciso divulgar o vídeo do projeto para muito mais gente. Entretanto, a participação desses investidores na empresa é bem menor, até porque a contribuição deles no negócio, na maioria das vezes, é também menor. Isso cria uma sinergia maior de pessoas fazendo a divulgação do projeto, interessadas no seu sucesso e lucro.

OBS: Outra Opção para lançar um projeto em sua empresa é restituir algum ativo como impostos que foram pagos a mais ou indevidamente como o imposto de renda e o icms da conta de energia elétrica como explica o Guia de Restituição do ICMS da Conta de Energia Elétrica

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *